Ilha? Praia? Caverna? Base galáctica!

Outra coisa que queria fazer na região de Nayarit (e na verdade, foi o que me levou para lá) era fazer um passeio até as chamadas Islas Marietas. Susana, minha anfitriã em Bucerías, que também já trabalhou de guia nessa área, me ajudou com os contatos com uma agência de Punta de Mita, lugar de onde saem os barcos rumo ao arquipélago. Lá fiquei esperando chegarem outros clientes para poder formar o passeio. Daí os caras da agências decidiram me oferecer uma prancha de stand (tudo 0800) pra passar o tempo. Lá fui eu pro mar. Fiquei remando e remando até que decidi me estirar e fazer um yoga em cima da prancha. Fiquei lá contemplando os pelicanos e gaivotas sobrevoando. Até que voltei ao mundo lentamente fui percebendo que já havia sido levado para bem longe da praia… já estava depois do último barco ancorado e podia ver pelo cata-vento na sua proa que o vento era um terral frenético. Comecei a remar, mas o máximo que conseguia era manter a mesma distância com relação ao barco. Assim fiquei por uns quinze minutos, até que avistei ao longe um barco voltando do alto-mar e então levantei os remos e comecei a sinalizar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Punta de Mita

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

maryogando!

O barco se voltou em minha direção e me abordou. Eram pescadores e me ajudaram a entrar no barco. Me deixaram perto da praia e ali fiquei, até que o barco do passeio surgiu enquanto remava de volta para a areia. Ali já me subiram pro barco com prancha e tudo e seguimos para as ilhas.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

operação resgate…

 

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

portal para o paraíso

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

paraíso

Na verdade, a grande atração do arquipélago é uma das ilhas que possui uma praia DENTRO dela, numa espécie de gruta com uma abertura gigante no teto. Uma coisa impressionante! A entrada é por uma pequena entrada numa das paredes de pedra, por onde vamos nadando num pequeno túnel. Como levei minha câmera e ela era à prova d´água, consegui registrar tudo lá dentro.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Depois ainda demos um rolé ao redor da ilha, onde vimos pássaros de diversas espécies e demos uns mergulhos com snorkel. Na volta ao continente, ainda topamos com uma baleia dando suas piruetas!

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Meu próximo destino seria a loucura metropolitana da Cidade do México, o famoso DF. Então voltei a Vallarta, para de lá seguir para a capital.

 

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Anúncios

O Pacífico norte mexicano

Meu destino era Bucerías, mas para chegar lá teria de passar por Puerto Vallarta, um balneário muito turístico. Em Bucerías, ficaria hospedado pelo Couchsurfing e de lá depois iria para Sayulita. Fiquei na casa de Susana, que lá morava com sua mãe Sandra e sua filha Edme.

IMG_6510

Bucerías é também um balneário, mas muito tranquilo. Não chega a ser também um povoadinho, mas uma pequena cidade, onde predomina um ambiente de descanso para terceira-idade. O Oceano Pacífico com suas águas escuras, costuradas por revoadas de pelicanos em sua pescaria rotineira, era o cenário típico daquela região. Ali se pode passear tranquilamente sem as badalações de balneários agitados.

IMG_6529

 

IMG_6528

Um acontecimento engraçado foi num dia em que fui tomar banho de mar e ao sair da água, encontrei um nativo enterrando um grande baiacu na areia. Vendo aquela cena, parei a seu lado, me agachei e comentei: “Que gran pez globo, ahn?” O cara, que tava compenetrado em sua missão, se voltou para mim, mas logo desviou o olhar e se concentrou mais ainda na tarefa. Achei esquisito, mas depois de um instante, verifiquei que estava trajando uma sunga, que nas nossas praias brasileiras são tão comuns, mas lá só são trajadas por gays… ou viajantes brasileiros incautos ou ousados.

IMG_6652

IMG_6672

Além de meus passeios solitários, fui à praia também com a alegre companhia de Susana e Edme. Lá tomamos água de coco e comemos manga com pimenta (!). Sou pimenteiro nato, mas essa galera pira nessa história… Numa outra ocasião, ainda fui com Susana até Sayulita dar um rolezinho na praia. O lugar é menor que Bucerías e tem mais uma vibe de balneário alternativo para surfistas e outras tribos de jovens. As praias são mais bonitas e tem boas ondas.

IMG_6617

IMG_6583

IMG_6589

Naquele dia só somos visitar Sayulita, mas depois voltei e pra ficar por lá uns dias. Consegui inclusive hospedagem pelo Couchsurfing com um canadense que tava passando um tempo por lá. Seu nome é John e alugava uma casinha por alguns meses. Um grande figura também vagando pelo mundo. Ficamos de rolé pelo agradável povoado durante alguns dias. Lá descobri que no México também tem jaca! Apesar de que depois descobri que também só tinha mesmo por aquela região…

IMG_6694

IMG_6716

Em outra ocasião, fui novamente testado quanto aos meus costumes. Resolvemos ir à praia de rolé. Mas quando comecei a vestir a sunga (dessa vez não estava mais sendo incauto quanto aos costumes locais, mas ousado), John logo ficou constrangido e foi dizendo que não iria comigo se fosse usar aquilo… achei engraçado e ainda dei uma zoada, mas o cabra realmente estava preocupado com aquilo. Então deixa a idéia da sunga de lado e vesti minha bermudinha tactel mesmo.

IMG_6717

IMG_6743